segunda-feira, 23 de julho de 2007

Africa do Sul - Kruger Park - "Skukuza Camp"

Skukuza - Entrada
O "Skukuza Camp", fundado em 1936, fica localizado na margem sul do rio Sabie. É o maior acampamento do Kruger, a sua sede administrativa, concentrando uma diversidade de apoios únicos no Parque. Está equipado com um pequeno hospital, um aeródromo, um museu e uma agência de aluguer de automóveis. É, sem dúvida, o acampamento que condensa o espírito do Parque no que aqui denominam o "all in one", sendo talvez aquele que eu recomendaria para quem disponha apenas de dois ou três dias para visitar o Kruger.
Com uma enorme diversidade de "bungalows", para todos os tipos de gostos e bolsas, que vão desde a pequeníssima cubata à casa de férias para famílias numerosas, aqui encontramos um enorme recinto com lojas, piscinas e anfiteatros ao ar livre, tendo o espaço dimensões semelhantes a uma pequena aldeia.

Quando optámos pelos acampamentos do Kruger, em detrimento dos "resorts" situados no exterior do seu perímetro, a motivação que nos impulsionou foi, não só a experiência inesquecível que nos iria proporcionar viver dentro do Parque mas, obviamente, o factor económico foi relevante. Os preços praticados, tanto nos alojamentos como em todas as actividades lúdicas promovidas pelos acampamentos, são consideravelmente mais competitivos do que os praticados pelas agências das redondezas. A título de exemplo, os acampamentos do Kruger organizam um grande número de safaris guiados pela savana, a cerca de 1/5 dos preços praticados pelas agências de turismo exteriores ao Parque. É ainda de realçar uma outra vantagem: o facto de ser possível fazermos incursões nocturnas na savana, em carros próprios do acampamento, o que não é permitido a qualquer outro veículo exterior ao Parque.
Skukuza- Passeio ao longo do Rio Sabie
Os acampamentos fecham os seus portões às 6 horas da tarde, não sendo possível, a partir dessa hora, sair do recinto do acampamento excepto nas excursões organizadas localmente. Estes safaris nocturnos, acompanhados por motorista e guia, proporcionam-nos uma experiência inesquecível a não perder.
A "Night Drive"
Saímos ao pôr-do-sol, com mais alguns turistas para aquilo que aqui denominam como "night drive". O carro onde seguíamos era um jeep muito alto, apenas com umas armações de metal na parte lateral. Uma lona cor de caqui presa nessa armação metálica, fazia de parte lateral e uma outra amarrada por cima das nossas cabeças fazia de tejadilho. A sensação que tive situava-se entre o deslumbramento da aventura e algum temor sobre a segurança deste carro com laterais e tecto de lona. Não é muito confortável ouvir que iriamos encontrar leões e leopardos. Que não iria haver qualquer problema porque eles, simplesmente, nos ignoram. Pelo sim pelo não, resolvi colocar o meu filho mais novo nos bancos de dentro porque me fez imensa confusão o guia ter-nos dito que o pé dele, que aparecia debaixo da lona lateral do "jeep", daria um óptimo "snack" para os leões. Foi com este misto de aventura e imprudência que passámos três horas na maior escuridão, numa noite inesquecível. As temperaturas rondavam os 0ºC e colocaram à disposição de todos mantas grossas para nos abrigarmos do frio e do vento cortante. Percorremos as estradas de terra batida, num perímetro de uns 20Km, à volta de Skukuza. Esta zona é conhecida pelo grande número de leões e outros predadores que se conseguem avistar, nestes passeios nocturnos. E, de facto, é uma experiência inesquecível quando o carro é rodeado de leões, ou avistamos um leopardo - animal solitário por excelência - ou, ainda, uma família de hienas que passeia imperturbável no meio da estrada, sem se preocupar minimamente connosco. Seguimos neste passeio nocturno no meio de uma escuridão imensa. Apenas os faróis do jeep iluminavam a estrada. O guia segurou, todo o tempo, uma gambiarra que, incansavelmente, apontava para o capim alto de ambos os lados da estrada. Por detrás das ervas eram visíveis muitos olhinhos que brilhavam no escuro e percebia-se que eram impalas, "kudus" e "redbucks" escondidos, entre a folhagem dos arbustos e a erva alta, protegendo-se dos predadores da noite.Regressamos, já pela noite dentro, a Skukuza encantados com esta nova experiência que nos proporcionou ver a versão nocturna do Kruger, fora do acampamento, ao vivo. É, de facto, a não perder.
Para reservas em Skukuza ver o site oficial aqui

2 comentários:

Olga disse...

Oh, TI - this might have been a very thrilling experience! Driving there at night and seeing the life of the animals go on. It does sound kind of scary a little. How do they keep the camp protected from the predators? Occasionally there must be such animals inside the park right? I was also curious why it was so cold then, and then realized that you were in Africa during winter. What were the daily temperatures then? Funny - we were driving home from work yesterday and we sometimes take a shortcut to avoid traffic jams - it is a very old road which goes through a little wood, so do you know who we have met on the way? A huge wild boar! And he was walking calmly minding his own business :) pretty much in the middle of a big city!

TI, I hope that you are having a good holiday, carefree and exciting. Looking forward to your new posts about Africa and Morocco. Love from Gdansk,

Olga

Viagens pelo Mundo disse...

Hi Olga,
Thanks so much for steaping by.In fact it's a very nice experience to drive at night along with other turists and see all the wonder that Kruger can offers us in such a different experience than we are used to. The camps are protected by very tall wall and electric fences. The main gate has electric bars on the floor, with a low voltage so that animals are not tempted to get in the camp.I think is beautiful that you still live in a area where you can still find some spots of wild life, that's really amazing. Holidays were very nice and I loved Marocco for it's different culture and long History where Portuguese are closely associated, specially in the north part of the country. A big hug Olga and hope the days run till next week. TI