terça-feira, 24 de julho de 2007

Africa do Sul - Kruger Park - As Savanas

O Kruger situa-se numa zona tropical. Aqui, as antigas selvas africanas foram-se reduzindo, ao longo de milhares de anos, por acção de um clima progressivamente mais seco, precipitações mais raras e irregulares, alternando com longos períodos de seca. As grandes florestas deram assim origem a vastas extensões herbáceas, escassas de árvores e arbustos, - excepção feita às zonas próximas dos rios e lagos. O solo encontra-se coberto de gramíneas, leguminosas e outras plantas herbáceas que definham na estação seca. É esta comunidade vegetal, perfeitamente adaptada à chuva periódica, que conhecemos por "savana". A zona central do Kruger caracteriza-se, precisamente, por este tipo de flora sendo a zona por excelência onde podemos encontrar o maior número de predadores. Motivações de ordem ecológica animam a Administração do Kruger tendo sido instalados sistemas de detecção da concentração de CO2, nos vários ecossistemas, de modo a medir as repercussões do aquecimento global na savana. As poucas árvores, existentes nesta paisagem, estão providas de um sistema radicular desenvolvido de modo a aproveitarem toda a humidade do solo. Umas apresentam uma copa semelhante a um chapéu de sol, como sucede com algumas acácias (na imagem), outras, como é o caso do gigantesco embondeiro - aqui denominado "baobá" -, estão providas de grossos troncos capazes de acumular até 120.000 litros de água. Estas árvores fascinaram-me pelo seu porte majestoso. As baobás desenvolvem-se, normalmente, em zonas sazonalmente áridas, chegando a atingir os 20m de altura e os seus troncos os 10m de diâmetro. São árvores de folha caduca, perdendo as suas folhas na estação seca. Consta que algumas têm vários milhares de anos sendo, contudo, questionável esta teoria uma vez que o seu tronco não produz anéis de crescimento, tornando difícil aferir qual a idade exacta que estas árvores chegam a atingir. Existem várias lendas na África do Sul em torno das baobás, uma delas respeita ao povo "Bushman" e explica a razão desta árvore parecer ter as raízes para cima. Refere a lenda que o seu Deus Thora não gostou que uma baobá crescesse no seu jardim pelo que a arrancou pela raiz e a atirou pela janela do Paraíso, caindo na Terra, cá em baixo, com as raízes para cima, tendo, apesar disso, continuado a crescer. As baobás foram das primeiras árvores a surgirem no planeta, possuindo uma capacidade de regeneração invejável, seja quando são fustigadas por incêndios, seja ainda em consequência dos enormes estragos infligidos pelos elefantes, animais que têm por hábito arrancarem grandes bocados da casca das baobás para se alimentarem.

Ao pensar nas baobás lembrei-me do ternurento conto do Principezinho, de Saint-Exupéry, e do receio que este menino tinha que o seu pequeno planeta explodisse, esburacado com as raízes das grandes baobás. Para o Pequeno Príncipe era uma questão de disciplina cuidar do seu planeta e arrancar os pequenos pés de baobá apenas tendo lugar para a sua bonita rosa, a flor que lhe merecia todos os seus cuidados e atenções. Com um comportamento egoísta e lascivo, a rosa revela-se vaidosa, fútil, superficial, não correspondendo, minimamente, aos esforços e à dedicação do Pequeno Príncipe, tendo o fim que, sem dúvida, merece. Fica aqui um excerto do filme, que é uma delícia recordar. Fotogr: CRV
 

2 comentários:

Olga disse...

Hi TI, thank you for the video, I really love Little Prince as already said - it is a precious book!

Now if you don't mind I'm proposing to have some fun and let people know you better - I'm asking you to name 6 unimportant things that you love in a post.

I was tagged in the same way by JuanitaTortilla - please come to have a look as well and hope you'll like it ;) - but of course there is no obligation for you to do this :D

Here are THE RULES…..

Pick 6 unimportant things you love
Mention & link to the person who tagged you
Tag 6 of your favourite bloggers to play along

(don’t forget to comment on their blog to let them know they’ve been tagged!)

Viagens pelo Mundo disse...

Hi Olga,

Challenge accepted! But, instead of talking about 6 unimportant things in general that I like, I'll search for those unimportantant things among those I use to do when I'm travelling, which turns to be easier because on an holiday athmosfere we do lots of unimportant things, so I'm being lazy and taking advantage of my theme...that is, if you don't mind!So, I'll post about it! A big hug and thanks for the challenge (I already saw yours - cute!) Love TI