domingo, 22 de julho de 2007

Kruger Park - "Preteriuskop Camp"

Quando o mundo era jovem, há cerca de 3,5 milhões de anos, a rocha fundida rasgou a crosta terrestre e abriu caminho solidificando e formando espectaculares afloramentos de granito. O "Pretoriuskop Camp" localiza-se perto de uma impressionante cúpula de granito conhecida como "Shabeni Hill" (em baixo, na imagem). Antes da formação do Parque, por volta de 1850, esta zona era local de passagem dos antigos colonos para a costa de Moçambique. "Pretoriuskop" situado a mais de 680m de altitude, oferecia à data, tal como nos dias de hoje, um conjunto de condições favoráveis para pernoitar: não só proporcionava noites mais frescas, no Verão abrasador sub-tropical, como ainda se situava acima do nível da malária e da mosca tsé-tsé que abundava, junto aos charcos e lagos, lá em baixo, nos vales em redor. Aberto ao público em 1927, é o único acampamento que integra flora não endémica deste ecossistema. À data da sua inauguração, foram introduzidas plantas exóticas, buganvílias e árvores que, nos meses de Julho e Agosto, enchem o acampamento de coloridas flores encarnadas.Com uma enorme área de lazer com piscina, este é um acampamento rotulado como "kids friendly" pelas condições ideais que reúne para os mais pequenos.
O ambiente é de uma tranquilidade acolhedora. Impalas passeiam elegantemente pelas ruas do acampamento. Vivem em perfeita comunhão com os visitantes, dentro dos muros, procurando aqui refúgio dos predadores. Para informações e reservas ver este site A primeira noite no Kruger. Tantas emoções novas. Refúgio num paraíso. Longe de tudo, notícias, televisão, barulhos, corridas, o supérfluo. Calma. Tempo para conversar, ler um livro, olhar para lá do horizonte. O frio do Inverno em Julho. Jantar com uma fogueira por perto. Todos em volta. Sentir o calor. Cheirar a lenha. O fogo a crepitar. Recordações - Guias, Baden-Powell, Patrulha "Águia": Presente! -. Os sons por detrás da noite. Ficar. Ficar a ouvir o que vem de lá: o piar das corujas, as hienas - afinal, parece mesmo que riem! -, cães selvagens a uivar. Leões. Vários. Apanharam um animal! A aflição da presa que cai na emboscada. Rugidos. A ansiedade que nos provoca. Ficamos imóveis, a ouvir. Pausa. Rugidos. Ansiedade. Não podemos fazer nada, sabemos que é assim. Conflito. Sobrevivência. Depois, novamente o silêncio. E o céu. Deitados no granito da Shabeni Hill olhamos a imensidão de estrelas. Um mar de luz. Acho que nunca tinha visto um céu tão brilhante. Plantar estrelas num jardim e colher constelações. Órion. Segui-la. Desenhar com o dedo o Caçador. Descobrir as três pequeninas Marias lá dentro. Procurar o Cruzeiro do Sul. A mais pequena das 88, só vista deste lado da Terra, no hemisfério sul. Silêncio. Nostalgia. Paz. - Fotogr: CRV (excepto Shabeni Hill)

2 comentários:

Olga disse...

Magic, TI... What you write and how you write it at the final part of your post is truly magic. I saw myself there in Kruger sitting by the fire and listening to all these sounds...and looking at the sky so clear and far away and full of stars I have never seen before. Thank you for the link - I have looked through the parks in Africa (didn't know there are so many!) and I hope one day we will be lucky to get as far and see so much. I want to complement the style of your writing, it is so beautiful and unique. I'm reading mostly the translation, and some part in Portuguese which you wrote before adding this feature (can understand much though far not all) and clearly the way you write is amazing. Have you ever thought of writing a book about your travels? Well, blog is like a book as well I guess :)A big hug and looking forward to more posts :) Olga

Viagens pelo Mundo disse...

Hi Olga,
You are such a dear. Writing a book? Don’t make me laugh! You must be joking! I’m a complete ignorant about that! These are just feelings. I’m too much emotional as I believe you probably have already noticed and it stays there. It’s not possible to give an idea of what we felt on the first night without writing about it. It’s so different from what we were used to. As the noises strikes us from the savannah there are so many conflict feelings. We feel sorry for the prey but, of course, we understand the predators‘ survival needs. And the sky there, is so bright and beautiful. There is no electricity on the vicinities, even inside of the camp there are no lights, only inside of the bungalows. We have to buy flash lights to walk inside of the camp at night, otherwise we’d not see anything. It’s completely dark and we are always thinking when will we step on a snake, because we saw lots of them at Kruger, but of course, not inside the camps.
I’m sure you’ll manage to go there someday. Look, you have been in China! Johannesburg is even closer than that, and you have here some topics to schedule your trip. And, of course, it would be my pleasure to help if you’d need some more detailed in formations.
A blog for me works like a relaxing moment. I can review my photos and share my experience...and make friends. Look at you! And it's so nice. A big hug! TI